21 de novembro de 2007

Nique-pique


Parou com a grande cesta no meio do pântano. Tirou um pano branco com listras pretas e pregou suas pontas no único pedaço de grama seca. Em seguida, saíram uma fatia de ansiedade e uma metade de luxúria. Lembrou-se também que havia trazido formigas. Sacudiu o vidro e espalhou todas, na tentativa de desordenar a vida de alguém. Por fim, a torradeira. A cada 30 segundos, torradas em dupla eram catapultadas para o horizonte relampejante, mas eram abatidas por seu arpão antes de conseguirem voar para o norte.

- Boa pontaria, garoto – disse a cabeça empalhada de búfalo, sua amiga e comentarista.

Com a libido saciada, não notou que a luxúria estava sendo devorada pelas formigas.
Em fila indiana.


Gostou da foto?
É do Leogetz: www.flickr.com/photos/leogetz

7 comentários:

Gastón disse...

Onde tem areia movediça os textos ficam mais profundos.

MH disse...

amei a foto, amei o texto.

Leitura surrealista do dia, o mais legal é que o texto vira imagem na minha cabeça... (louca, eu?!)

"a" MH

MH disse...

Rodolfo, valeu pelos comentários lá no blog. Muito bom o lance da tecla "lock" do corpo. rsrsrsrsr.
Ah! E parabéns pelos textos. Show de bola, já coloquei teu blog nos meus "recomendados". Abraços.

MH disse...

A "o" MH acima é o marcelo henriques. rsrsrs

Rodolfo Barreto disse...

@gastones
vou tentar me jogar ness areia com o braço pro alto. Quem sabe assim, continuo escrevendo..rs

@Mh
Muito pelo contrário! É fundamental que todo texto vire imagem na nossa cabeça. Faz parte da interpretação de cada um :)

@Mh com h maiúsculo
Obrigado pela presença. Me diverti muito com os seus também e vou colocar aqui na listinha também. Pode deixar!

Fabiana disse...

Cara, a primeira vez q li sinceramente me achei meio burra por nao entender.
Com um esforço, saquei que a idéia não é entender nem ter lógica.
É pra viajar mesmo.

Danilo disse...

eehhe
sempre me surpreendendo.

e o livro? 10ª edição já?

Abraço
Danilim